SOBRE

O jornal Martim-Pescador foi fundado em outubro de 2003 pela jornalista Christina Amorim. A ideia foi a concretização de um sonho de Enéas Xavier, presidente da Colônia Z-23 de Bertioga de 2002 a 2010, de criar um canal de comunicação entre os pescadores que auxiliasse no desenvolvimento do setor. Com o forte apoio de Enéas e do presidente da Federação dos Pescadores do Estado de São Paulo-Fepesp, Tsuneo Okida, assim como dos presidentes de colônias e capatazias, nasceu o primeiro exemplar, inspirado no pássaro martim-pescador, que acompanhava Enéas em suas pescarias de adolescente nos mangues de Bertioga. Diz a lenda que o martim-pescador é

indício certo da presença do peixe. 

O jornal começou como órgão oficial da Colônia de Bertioga, e mais tarde passou para a Fepesp, cobrindo eventos em diversas partes do Estado. Assim acompanhou o nascimento dos primeiros programas de apoio à pesca que começaram com um trabalho de base: informatizar as colônias de pescadores, que usavam antigas máquinas de escrever, providenciar documentação para um grande número de pescadores que viviam na informalidade, realizar cursos de formação, capacitação, educação ambiental com a formação dos pescadores agentes ambientais voluntários e ainda tentar manter vivas as festividades que aos poucos iam desaparecendo.

 

O jornal participou de tudo isso, divulgando cursos, incentivando os pescadores a se documentar, e apoiando os eventos culturais das comunidades. Num âmbito maior, o jornal começou apoiando a meta da Fepesp, para a criação de um bom plano de desenvolvimento da pesca de forma sustentável aliado a bons programas de qualificação e formação profissional. 

 

O grande sonho de Tsuneo Okida seria a criação de uma escola de pesca em Santos, com alojamento para que pescadores de outras partes do Estado pudessem vir para participar de cursos. Nesse dia os pescadores terão mais um pouco de fôlego para dar continuidade à sua bela e bíblica profissão.